16 de ago de 2009

Esperemos

Esperemos

Há outros dias que não têm chegado ainda,
que estão fazendo-se
como o pão ou as cadeiras ou o produto
das farmácias ou das oficinas
- há fábricas de dias que virão -
existem artesãos da alma
que levantam e pesam e preparam
certos dias amargos ou preciosos
que de repente chegam à porta
para premiar-nos
com uma laranja
ou assassinar-nos de imediato.

Pablo Neruda (Últimos Poemas)

Tuas Mãos

Tuas mãos

Quando tuas mãos saem,
amada, para as minhas,
o que me trazem voando?
Por que se detiveram
em minha boca, súbitas,
e por que as reconheço
como se outrora então
as tivesse tocado,
como se antes de ser
houvessem percorrido
minha fronte e a cintura?

Sua maciez chegava
voando por sobre o tempo,
sobre o mar, sobre o fumo,
e sobre a primavera,
e quando colocaste
tuas mãos em meu peito,
reconheci essas asas
de paloma dourada,
reconheci essa argila
e a cor suave do trigo.

A minha vida toda
eu andei procurando-as.
Subi muitas escadas,
cruzei os recifes,
os trens me transportaram,
as águas me trouxeram,
e na pele das uvas
achei que te tocava.
De repente a madeira
me trouxe o teu contacto,
a amêndoa me anunciava
suavidades secretas,
até que as tuas mãos
envolveram meu peito
e ali como duas asas
repousaram da viagem.

Pablo Neruda

11 de jul de 2009

Cuerpo de Mujer -Pablo Neruda (Chile, 1904-1972)

Cuerpo de mujer, blancas colinas, muslos blancos,
te pareces al mundo en tu actitud de entrega.
Mi cuerpo de labriego salvaje te socava
y hace saltar el hijo del fondo de la tierra.
Fui solo como un túnel. De mí huían los pájaros
y en mí la noche entraba su invasión poderosa.
Para sobrevivirme te forjé como un arma,
como una flecha en mi arco, como una piedra en mi honda.
Pero cae la hora de la venganza, y te amo.
Cuerpo de piel, de musgo, de leche ávida y firme.
¡Ah los vasos del pecho! ¡Ah los ojos de ausencia!
¡Ah las rosas del pubis! ¡Ah tu voz lenta y triste!
Cuerpo de mujer mía, persistiré en tu gracia.
Mi sed, mi ansia si límite, mi camino indeciso!
Oscuros cauces donde la sed eterna sigue,
y la fatiga sigue, y el dolor infinito.

24 de abr de 2009

O Tempo....

Já faz um bom tempo que trabalho no centro de convivência para pessoas idosa Santa Clara. E desta convivência surgiram algumas perguntas: Viemos a este mundo com uma missão e passamos a vida tratando de cumpri-la? Nos “melhores anos de nossa vida” pode nos esforçar fisicamente e resistir a muitas adversidades, temos a vitalidade para poder superar o que for. Porém, quem diz que esses são os melhores anos da vida?
Claudia Elizabeth em um artigo sinceramente acha que os melhores momentos de nossa vida radicam em quanto estamos próximos das outras pessoas. Em nossa vida nos aproximamos de diversas pessoas. Em situações diversas, normalmente é neste caminhar que vamos fazendo amigos. Porque nos momentos felizes necessitamos convidá-lo, aí esta! (Embora, sempre é bom, agradecer-Lhe e convidá-lo a desfrutar nossos bons momentos).
Etretanto, Víctor García Hoz que em seu livro abre o panorama no sentido de ver como Deus se aproxima de nós em diferentes etapas de nossa vida. García Hoz me fez entender porque, na denominada “terceira idade”, os sentidos, as forças, a vitalidade e as energias do corpo humano declinam radicalmente. Em nossa juventude, estamos mais atentos a tudo o que acontece, nossos sentidos estão à flor da pele e nos distraímos com tudo e corremos atrás do tempo. Na terceira idade, os sentidos e o corpo declinam fortemente por uma única razão: deixar de nos distrair para focalizar o que realmente importa.
Assim, na terceira idade, a vida profissional e as atividades pessoais mudam e diminuem de intensidade. Esse tempo que desejamos na juventude se torna duas vezes mais longo na terceira idade. Não existe uma forma mais maravilhosa de ocupar o tempo que Deus nos concede do que rezar, conversar com Deus e aproximar-nos da Igreja!
Que alegria estar nesta etapa da vida! Deus nos enche de dons e de amor, com uma família ampla, amigos, tempo para rezar... a vida mesma. Sempre devemos ter esperança em Jesus, deste modo teremos paciência e resignação bem entendidas, assim seremos felizes (1).
Por último, gostaria de compartilhar com vocês esta frase, não sem antes recomendar-lhes amplamente o livro Alegría en la Tercera Edad (Alegria na Terceira Idade), de Víctor García Hoz.
Pense que EU governo o mundo e que só EU sou absolutamente sábio, forte e amigo. EU sei o que lhe convém, se posso fazer o que lhe convém, o que pode acontecer que não te convenha? Tudo será para seu bem (2). Que Deus os abençoe!