18 de jul de 2010

René Descartes, a partir do ideal de obter idéias claras e distintas, inaugurou um métodoepistemológico disjuntivo que, embora tenha conduzido a conquistas tecnológicas e científicas,levou à separação entre ciência e ética, razão e sentimento, corpo e alma. O modeloepistemológico cartesiano não influenciou tão somente as ciências, mas foi ele mesmo ummodelo de educação classificadora e reprodutora de informações. O filósofo Edgar Morindenuncia os limites de tal paradigma e aponta a necessidade de ultrapassá-lo a partir de umanova forma de aceder à realidade, o paradigma da complexidade, este é capaz de contemplaro fenômeno humano, em sua totalidade. Morin anuncia também a necessidade de um novo
modelo de educacional, visto que a educação é a área por excelência em que as mudanças no
interior da sociedade podem ser efetivadas. O presente artigo apresenta a proposta franciscana de educação face aos desafios impostos pela complexidade contemporânea.
O modelo franciscano de educação resgata os valores de Francisco de Assis e da primitiva
fraternidade franciscana: valores como justiça, solidariedade, fraternidade, ecologia e
liberdade, que assumidos na educação são capazes de formar o ser humano em sua
integralidade, tornando-o virtuoso e feliz.