27 de mar de 2015

Hosana ! Bentido o que vem em nome do Senhor!

                                     Júlio Lázaro Torma*
                                 " Meu Deus,meu Deus,porque me abandonastes?"
                                                                                      ( Mc 15,34)
      Hoje iniciamos a celebração da Semana Santa, a " Semana das semanas'', a " Grande Semana", da Entrega, Paixão e Morte e Ressurreição de Jesus que culmina na madrugada de domingo de Páscoa ( Pesach). Celebramos o domingo de " Ramos" quando trazemos palmas, ramos, flores e ervas medicinais.
    Estamos seguindo o itinerário de Jesus, estamos próximos dos pórticos de Jerusalém, em Betânia ( casa dos pobres) e Betfagé ( casa do figo), perto do monte das oliveiras a onde o povo se concentrava para as romarias. Durante a caminhada salmodiavam os salmos 120-134 ( Cânticos de peregrinação).E junto com os milhares de romeiros subamos " para Jerusalém a cidade tão bem edificada,que forma um tão belo conjunto" ( Sl 122,3) e " Vinde subamos á montanha do Senhor" ( Is 2,3).
     Eis que subamos, cantemos alegremente salmos de alegria pois o Senhor o " Príncipe da Paz" ( Is 9,5), " esta se próximo" ( Fl 4,5) e vem " simples montado num jumento, no porto de uma jumenta" ( Zc 9,9) e a ele as ruas tomadas pela multidão correm cantando com ramos de oliveira,folhas de palmeiras,salgueiros e ramos de mirta ( Dt 16,Lv 23,40,Ne 8,14-17) e cantemos alegremente, " Bendito seja o que vem em nome do Senhor" ( Sl 118,26-27).
    Jesus entra na cidade de Davi, na cidade da Paz e messiânica, como um rei de maneira provocativa diante dos poderes do Templo ( religioso) e de Pôncio Pilatos ( político), dominador que oprimem, empobrece e dominam o povo.
    Assim como o seu antepassado o poderoso rei Davi ( II Sm 5,6-11), Jesus entra em Jerusalém.Ele entra pacificamente montado no jumento. O jumento era o meio de locomoção das pessoas pobres de seu tempo, de serviço e de sinal de missão de paz de um rei.
    Quando um rei entrava numa cidade montado num cavalo era sinal de  guerra e de destruição daquele povo.
     Jesus entra de maneira provocativa cercado pelos discípulos e a multidão, anunciando um Reino diferente que inverte as prioridades, onde quem quiser ser o maior deverá ser o menor e que veio para os pobres e pecadores.
     E que o seu reino não é um reino dominador e opressor, mas um Rei que é servo, que se esvaziou de si mesmo, de sua condição real e se fez o" servo sofredor" ( Is 50,4-7).
     Ele não é acolhido pelos poderosos de seu tempo que tem medo dele, pois eles tem medo de perder os seus privilégios e farão de tudo para assassina-lo, como forjar um julgamento falso, cheio de mentiras e onde eles mesmos se contradizem o tempo todo e manipulam a opinião pública contra Jesus.
    Quando a elite se vê e sente os seus interesses ameaçados a primeira coisa que ela faz é isolar e eliminar aquele que lhe atrapalha e causa uma ameaça como sucedeu com Jesus.
     Outro paradoxo da festa de hoje que deve ser destacado é a mesma multidão que está as vezes aclamando ( Mc 11,8-10) e que alguns dias depois está imediatamente condenando ( Mc 15,13-14). Mas uma vez a nossa realidade humana. A multidão é sempre versátil, a massa não pensa ela é facilmente manipulável.
    Apenas um líder hábil para manipular de alguma forma para o melhor e o pior.Os seres humanos que compõe a multidão são facilmente influenciados por fatores ou situações que por vezes negam a si mesmo, em instituições, empresas, negócios que muitas vezes há gravantes situações de injustiças...
    Quantas pessoas aceitam se queimar para denunciar? O medo pode ser rapidamente, o medo da perda do emprego, medo da perda da amizade, medo de alguma ameaça de morte, o medo de não chegar a uma posição privilégiada, o medo de ter que lutar em defesa da justiça, medo do medo... É triste! Mas a maioria das pessoas são assim.
    Eu pessoalmente já experimentei e passei por isso mais de uma vez. No entanto, é está maioria que compõe as massas ou seja  são homens e mulheres que estão fazendo qualquer coisa.
    Olhamos para nós mesmos e perguntamos quem somos a multidão, Simão Cirineu, Pedro que nega, Judas que trai e os discípulos que fogem? ou os transeuntes que passam anonimamente diante da cruz?
     Quantas vezes Jesus esta caído nas nossas ruas e nós não lhe ajudamos e viramos o nosso olhar, pois o seu olhar nos agride e também nos ofende e nos chama a dura realidade em que vive bilhões de seres humanos em nosso planeta.
    Jesus está hoje gritando em meio aos crucificados de nossa sociedade, aqueles que muitas vezes zombamos deles e que pedimos a sua morte, uma higienização da sociedade, não porque eles que são os mais pobres nos atrapalham. Mas por que eles causam um mal estar nos privilegiados, que criam miseráveis, entre os pobres e que não querem ver, para não terem peso na sua consciência e serem chamados a responsabilidade desta dura realidade, diante do grito abafado de milhares de crucificados que encontramos pelas ruas, calçadas, praças, avenidas,estrada e calçadão de nossas cidades.
    Onde o grito de Jesus abandonado nos crucificados nos chama a sairmos do nosso comodismo e como Simão Cirineu nos colocar á serviço, não ter medo do desconhecido, pois é como nos fala o Papa Francisco.
    " Prefiro uma Igreja acidentada, ferida e enlameada por ter saído pelas estradas, a uma Igreja enferma pelo fechamento e a comodidade de se agarrar ás próprias seguranças" e que tem medo de tocar nos crucificados nas beiras e caídos nas estradas do mundo.
    É indigno converter a semana santa, em folclore, turismo, meros espetáculos, comércio para abastecer os lucros da Páscoa, feriadão. Para os seguidores de Jesus celebrar a Paixão e Morte do Senhor é um agradecimento emocionado, adoração ao amor " incrível" de Deus e chamados a viver como Jesus, solidarizemos e servimos aos crucificados.                  Mc 11, 1-10; Mc 15,1-39
            __________________________-
            * Membro do Colegiado Nacional da Pastoral Operária

20 de mar de 2015

Olhar o Cruzificado

                                 Júlio Lázaro Torma*
                                    " Se o grão de trigo cair na terra e morrer
                                      produzirá muitos frutos"
                                                 ( Jo 12,24)
        No itinerário de nossa caminhada na estrada de Jesus com Ele para Jerusalém na grande semana, na semana das semanas da Entrega, Paixão, Morte e Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo.
   Somos chamados a olhar o Crucificado e a ver Jesus pelas comunidades do' ' Discípulo Amado".
    No Evangelho vemos que os gregos, os pagãos se aproximam dos discípulos e pedem a Felipe e André para verem Jesus e pedem: " Queremos ver Jesus". Esse é o pedido dos pagãos e ao mesmo tempo o nosso pedido de podermos contemplar o seu lindo olhar, " onde aflitos te procurávamos" ( Lc 2,48) e sedenta está a minha alma em tua procurá ó Senhor.
   Hoje como outrora diante dos discípulos, quantas pessoas procuram e batem nas portas de nossas comunidades em busca do Senhor Jesus?. E nós enciumados e achando que somos os donos de Jesus, como se Ele fosse nossa propriedade privada, não queremos e não deixamos que os outros se aproximem dele, como Ele mesmo havia nos falado;" E Eu, quando for elevado da terra, atrairei todos a mim" ( Jo 12,32).
    Ele no alto da cruz, com o " seu rosto desfigurado, sem beleza para cativar e atrair" ( Is 52,14), nos atrairá todos a si á onde nos queremos vê-lo e deixar ser tocado pelo seu olhar pois como nos fala o Papa emérito Bento XVI; " como " Cristo atrai a si", com a força do seu amor, que culminou no sacrifício da cruz, assim a Igreja cumpre a sua missão á medida que associada a Cristo cumpre a sua obra" ( Homilia do Papa Bento XVI na missa de abertura da V CELAM em Aparecida).
     Como na pequena parábola do grão de trigo, caído na terra, dá frutos" ( Jo 12,24), assim é Jesus que como o grão de trigo plantado frutifica, após o seu martírio, a mensagem de Jesus se espalha para toda a humanidade e todos nós pela sua graça seremos atraídos a Ele, aquele que foi transpassado.
    Ao sermos atraídos e queremos ver Jesus, como cantemos em nossas comunidades: " Queremos ver Jesus, queremos, Queremos ver Jesus, queremos! Ele é o Caminho, a Verdade e a Vida". Onde ao " queremos ver Jesus, e com Ele sempre, seu rosto contemplar", nós queremos ouvir as suas palavras e caminhar nos seus passos na estrada de Jesus, caminhar com Ele.
    Ao ver Jesus, fazer a experiência pessoal, comunitária com Jesus é deixar " criar em mim um coração que seja puro, dai-me de novo um espírito decidido" ( Sl 50,12), é deixar ser movido pelos mesmos sentimentos e atos em que Ele teve e pensar, " o que Jesus faria se estivesse aqui? ou no meu lugar?".
    Ao comungar nós queremos dizer que eu estou disposto a fazer parte da vida de Jesus, aceito segui-lo e viver o seu projeto de vida e correr o risco de ter o mesmo destino e nos por a serviço e a serviço do outro.
    Principalmente as faces desfiguradas de Jesus, em que o encontramos nos crucificados nas ruas, avenidas, praças, calçadas, calçadões e periferias de nossa cidade e " que não tem nem graça, nem beleza para cativar e nos atrair" e que " ele esta presente neles" ( Is 52,14;Mt 25,31- 46), nos chamando a dura realidade.
    E vemos Jesus na Palavra de Deus, na Celebração Eucarística, no Amor as pessoas principalmente nos mais pobres, onde Ele revela o seu Amor infinito para conosco.
           Boas Meditações e bom final de semana
                 Jo 12,20-33
___________________________
       * Membro do Colegiado da Pastoral Operária Nacional

15 de mar de 2015

A Manifestação Diabólica

                                    Júlio Lázaro Torma
   A Bíblia é o único livro vivo, por página,por excelência, pois nos conta a caminhada e a vida de um povo os seus avanços, erros,acertos e retrocessos é o patrimônio da humanidade.
   Ela nos conta os avanços e os retrocessos em que o povo de Israel teve ao longo de sua História, como qualquer outro povo na História da humanidade.
   A Bíblia nos mostra que o Diabo, Satanás em latim, diabolus, diabolos= aquele que vem dividir,acusar, destruir, como fala Jesus, o " pai da mentira" ( Jo 8,44).
   Ele semeia a mentira e a desunião entre as pessoas e é o acusador e o que lança calúnias contra as pessoas ( Zc 3,1-2) e com as suas mentiras e a sua sede de destruição, causada por seu ciumes ele destrói o que lhe é empecilho como aconteceu com Jó( Jó 1-2).
   Pois ele o acusador além de semear o ódio entre as pessoas é capaz de " suscitar contra ele um injusto,um acusador que esteja á direita dele" ( Sl 109 ( 108),6), que  procurará de qualquer forma destruir todo aquele que procura defender os mais pobres entre o seu povo.
   Pois ele o diabo está com todo aquele que pratica a injustiça e que " amam os subornos e andam em proveito próprio não fazem justiça ao órfão e andam em proveito próprio não fazem justiça ao órfão e a causa da viúva não é invocada diante deles" ( Is 1,23) e " que juntam casa com casa e emendam campo a campo, até se tornarem os donos do país" ( IS 5,8), "que fraudam o salários dos trabalhadores e vivem uma vida de luxo e de conforto e estão gordos para o abate" ( Tg 5,1-5).
    E que " devoram as casas dos pobres" ( Mt 23,14) e passam para a sociedade uma falsa imagem de honestos e bons e " gostam de serem comprimentados nas praças públicas pelos homens" ( Mt 23,6), se esquecem que sois malditos " Mas, ai de vocês ricos porque já têm a sua recompensa" ( Lc 6,24), porque vos irão chorar e ranger os dentes.
   Pois o diabo aquele que procura dividir, defender os ricos contra os pobres, ' Porque foi expulso o acusador dos nossos irmãos aquele que os acusava dia e noite diante de nosso Deus" ( Apoc 12,10). E que ele o diabo, satanás não vencerá pois " Eu sei que o meu redentor está vivo e que no fim se levantará acima do pó" ( Jo 19,25). E que vira o Paráclito aquele que é o defensor da verdade, o advogado que mostrará a justiça ( Jo 14,16-25;15,26-16,7).
    A manifestação ou marcha do dia 15 de Março é maldita e diabólica pois ela tem causado dor, divisão entre o povo brasileiro. Uma coisa é o debate, diálogo político entre as pessoas que faz bem e faz avançar a ordem democrática.
   Outra é esta  manifestação diabólica que tem causado, dor, divisão entre as pessoas e as famílias, em que amizades, amores são destruídas em nome de vãs paixões políticas partidárias.Onde os derrotados não aceitam o resultado das urnas e da maioria do povo brasileiro que fez uma escolha nas urnas e que deve ser respeitado por todos.
    Quero perguntar aqueles que semeiam ódio, rancor e mentem que defendem a justiça, o que dirão e farão quando houver sangue derramado por causa de vossa mentira.
    A manifestação diabólica nada mais é do que uma armação dos filhos das trevas que se disfarçam de filhos da luz para enganar a todos, pois quem promove o ato tem como o pai o diabo que nada mais veio do que  para roubar, matar e destruir.
   Digo aos que estão promovendo tal ato quero PAZ e o respeito entre as pessoas parem de semear ódio e divisão entre as pessoas.

11 de mar de 2015

Ano da Vida Religiosa



16. O Carisma da Vida Religiosa Consagrada nasce sempre da base e não da hierarquia. A Vida Religiosa Consagrada nasce diretamente dos fiéis. A ação do Espírito insuflando carismas vem antes da reflexão teológica e mesmo antes do Direito Canônico. A Vida Religiosa Consagrada é gratuita, é garantida por Deus e não pelo Código de Direito Canônico, por Regras, Constituições ou Estatutos. leia mais:

5 de mar de 2015

Memorial reúne vida e obra de João Batista Libanio, referência em Teologia da Libertação

Teologia da Libertação
"Nada faz o ser humano ser tão feliz como colaborar no crescimento interior e espiritual das pessoas”. Depois de escrever mais de 125 livros, o padre jesuíta João Batista Libanio tinha mais do que propriedade para fazer ecoar essa frase. Vítima de um infarto aos 81 anos, em janeiro de 2014, o religioso conta agora com um espaço para manter vida sua memória. leia mais:

Disputa pelo Poder

                                             Júlio Lázaro Torma
                                              " Salvai-me pela vossa compaixão,ó Senhor Deus !"
                                                                                                     ( Sl 30 ( 31),2)
   O Evangelista Mateus no seu quinto livrinho;" A Vinda Definitiva do Reino" ( Mt 19-25). Nos conta a caminhada de Jesus para Jerusalém a onde irá acontecer o confronto final entre Jesus e os políticos de seu tempo.
   Onde nos narra o episódio envolvendo os filhos de Zebedeu que tinham a ambição pelo poder. Os outros evangelistas contam que foram Tiago Maior e João que fizeram o pedido. Mateus fala que foi Salomé a mãe que intercede pelos ambiciosos irmãos Boanerges.
   O texto crítica a disputa pelo poder que existe nas comunidades mateanas,onde os membros disputavam quem é o melhor ou maior entre eles. Ou queriam se promover dentro da Igreja e usar as comunidades em beneficio próprio ou segundo os seus interesses particulares. 
   Onde eles causavam com as suas disputas e intrigas verdadeiros escândalos, que " Quem escandalizar um desses pequeninos que acreditam em Mim"( Mt 18,6).
    Ele quer dizer que o verdadeiro discípulo não é aquele que provoca escândalos e nem têm sede de poder ou usa a comunidade para os " meios justificam os fins". E que não devemos reproduzir os vícios em que encontramos na sociedade e trazermos para dentro das comunidades.
    Quem quer usar a Igreja para beneficio próprio para se auto promover, ele está no lugar errado, quantas vezes mesmo no seminário somos treinados para disputas, pisar e concorrer com o outro, queremos melhores cargos , as melhores paróquias.
    Queremos ter prestígios e disputamos por cargos, em que ferimos e machucamos a Igreja e a desviemos do seu primeiro Amor que é Jesus Cristo, que se fez o menor, o servo de todos.
   Se crítica os casos de corrupção na sociedade, na política e em outras esferas, mas nos esquecemos que também dentro da Igreja, não estamos isento da " fumaça de Satanás que entra pelas suas portas e janelas".
    Onde acabamos reproduzindo a corrupção que nada mais é do que a disputa pelo poder. Todos nós sem exceção, estamos contaminados pelo mal da sede de poder e da ambição de ter o poder, cada vez mais. O poder corrompe a pessoa e trás todos os males que destrói as nossas relações para conosco mesmo e com o nosso próximo, onde temos o amor pelo Poder.
    Que Horror é ver cristãos brigando pelo poder ou envolvidos em casos de corrupção, pois as suas vás paixões, os fizeram cair neste grande mal e se tornaram causa de escândalos para muitos.
    O verdadeiro cristão é movido pelo poder do Amor é aquele que se põe a serviço, do outro e que não procura nada em troca. Mas se deixa se envolver pelo Amor que envolveu Jesus que de poderoso se fez menor de todos, rico se fez pobre para servir principalmente os mais pobres e excluídos de nossa sociedade, aqueles que são os verdadeiros amados de Deus e que Ele se fez um deles para mostrar o seu Amor e a sua grandeza.
    Devemos sim nos converter, deixarmos as disputas pelo poder que divide as nossas comunidades e saber nos deixar envolver pelo poder do amor que é estar a serviço dos irmãos e saber que " Entre vós não deverá ser assim.Quem quiser tornar-se grande torne-se vosso servidor;quem quiser ser o primeiro seja vosso servo.Pois o Filho do Homem veio para servir" ( Mt 20,26-27).
                PEDIDO DE ORAÇÃO
    " Quero pedir Oração por um inimigo meu Rafael Gonçalves Queiroz, que acabei de saber que perdeu um primo em acidente de moto na Barra da Tijuca no Rio de Janeiro ( RJ). Oremos pelo seu descanso eterno e que Deus conforte a família enlutada. Amém Boa Noite.
    "Amai vossos inimigos,fazei o bem aos que vos odeiam,orai pelos que vos perseguem" ( Mt 5,44)
        Mt 20,17-28

4 de mar de 2015

Ano da Vida Consagrada

  Alguns Apontamentos - II



11. Sobre a Vida Religiosa Consagrada existem muitos escritos. O que é bom, verdadeiro, o que responde vem aos poucos. Para o trabalho de conhecer tudo o que se escreve é preciso: 1. Ler bem o que foi proposto. 2. Refletir bastante 3. Fazer uma reflexão sobre a Vida Religiosa Consagrada a partir da própria vida, da própria experiência. Não existe Vida Religiosa Consagrada abstrata, existe o religioso, a religiosa, concretos!  4. Ver, conhecer e saber a partir do que é a verdadeira face da Vida Religiosa Consagrada. leia mais: 

2 de mar de 2015

Ano da Vida Religiosa


1. A reflexão que aqui iniciamos é uma escolha. Temos que entrar na vastidão do tema da Vida Religiosa Consagrada e buscarmos compreender a Identidade Teológica da Vida Religiosa Consagrada como Identidade de Vida Cristã. Ela é uma profusão de possibilidades temáticas, mas vamos procurar entender a sua Identidade. Continua lendo: