28 de jun de 2012

TRAIÇÃO VIRTUAL

  Júlio Lázaro Torma membro da PO Pelotas RS 
Estamos vivendo atualmente na " era da pós modernidade" e da " era virtual",onde tem se cada vez mais difundido as relações virtuais,através de salas de bate papo e de comunidades virtuais como Orkut,MSN,Twitter,Faceboock...
  Ao mesmo tempo tem se difundido em nosso meio a cultura do individualismo,onde moro num edifício e não tenho relação nenhuma com o meu vizinho do lado esquerdo,direito ou da frente.
  As vezes eu bato no elevador,escada e porta do prédio,dou um oi ou nada.Não sei o seu nome,sentimentos,se esta doente ou não.No maior dos casos nada de sua vida.
  Me sento em frente do computador,a janela virtual e fico conversando,nas salas de bate papo,tenho amigos, em qualquer parte do mundo,sei do que aquela pessoa que nunca vi,sente,pensa e até suas perversidades e manias.
  Ao mesmo tempo em que vivemos na " era da solidão",encontramos também,os relacionamentos virtuais,onde alguns podem dar certos ou alguma furada.
 Como enquanto a esposa está na cozinha,fazendo o jantar ou arrumando a casa,o marido fica teclando e conversando com a namorada que mora na Inglaterra.Ou quando o marido dorme,a esposa fica namorando o namorado chinês,português,espanhol,japonês,italiano,angolano ou o vizinho do lado.
  As vezes pode acontecer como aquele pai que ficou três meses namorando via on line e marca o encontro com a gatinha num badalado restaurante da cidade e ao chegar empolgado,para o primeiro encontro se depará com a própria filha.
  Ou o empresário que encerrado no seu escritório,fica o expediente inteiro namorando e depois não sabe o que está acontecendo dentro da própria empresa e acaba colocando a culpa da sua distração e irresponsabilidade nos seus funcionários.
  Pode as vezes no chamado namoro virtual o cara acreditar que está namorando uma mulher,uma top model e namorar um homem e a mulher o homem de seus sonhos e lavar gato por lebre.
  As chamadas traições virtuais,além de serem casos novos e inéditos,tem sido um dos grandes desafios no campo do direito,bem como da teologia moral.
  Na questão da chamada traição virtual,segundo o direito,se o marido ou a esposa desconfiar que o conjugue está traindo virtualmente.Ele ou ela podem usar o próprio PC como prova da traição e infedelidade conjugal,que poderá gerar o divórcio e a perda de direitos por parte do conjugue traidor.
  Na Teologia Moral,a relação só pode se considerada como pecado e adultério se houver toque e a relação corpo a corpo.Mas alguns teólogos consideram como pecado e adultério as relações virtuais,tendo como fundamento:" Todo aquele que lançar um olhar de cobiça para uma mulher,já adulterou com ela em seu coração"( Mt 5,28).
  Podemos dizer que a era virtual,da informática além de fazer que os distantes se aproximam,numa grande globalização.Ela também nos trouxe algumas realidades novas e novos desafios,como é o caso das traições virtuais,algo imagináveis alguns tempos idos.
  Como as tão freqüentes relações e traições virtuais,que podem destruir familias e acabar com as reputações das pessoas,pois não sabemos com quem estamos conversando do outro lado da tela do computador.

Nenhum comentário: