11 de jan de 2013

O Nosso Compromisso

                                    Júlio Lázaro Torma*
                                                              "Hoje, Senhor,Te manifestaste ao Universo
                                                               e Tua luz brilhou sobre nós;
                                                               reconhecendo-Te,a Ti cantemos:
                                                               vieste,apareceste,o Luz Inacessível !"
                                                                   ( Antífona Ortodoxa)
   Neste final de semana celebramos o " Batismo do Senhor", a segunda Teofania.A Festa do Batismo era celebrada na Epifania.No ano de 1955 o Papa Pio XII,separá a Festa do Batismo da Epifania,colocando á no dia 13 de janeiro e em 1969, Paulo VI,fixa no Domingo após a Epifania.
  Os fieis ortodoxos  de tradição constantinopolitana celebram no mesmo dia da Epifania.Onde os catecúmenos recebem o Batismo, como na vigília da Páscoa.
   Somos em nossas comunidades chamados a ler, meditar e rezar o Evangelho de Lucas sobre o Batismo de Jesus.A festa do Batismo é o elo entre o Ciclo Natalino e o Tempo Comum.
  O Batismo de Jesus em Mateus e Lucas, são o elo, dobradiça entre o Evangelho da Infância e a Missão de Jesus entre nós.
  Sobre a vida de Jesus entre as narrativas da Infância e o Batismo não sabemos nada de sua vida oculta em Nazaré.
  O que alimenta o imaginário de fabulistas, como sua peregrinação ao Tibete, a Índia entre os hindus,terapeutas e os essênios no deserto.
  Lucas nos apresenta a  missão entre espaço e tempo em que se completa o tempo da segunda Teofania,que acontece no inicio da vida pública,por ocasião do seu batismo no rio Jordão.
  Estamos na Pax romana, Tibério é imperador( 14- 37 d.C), Herodes Antipas ( 4 a.C- 39 d.C), era governador da Galiléia e no campo religioso o Sumo Sacerdote Cáifas ( 18-36 d.C) e Anás ( 6-15 d.C), nomeado sumo sacerdote por Herodes Antipas em nome do imperador. Numa aliança entre o império de ocupação e a religião oficial do Templo.
  Neste período proliferava movimentos batistas que pregavam a purificação do povo para receber o Messias.
  João Batista prega um batismo de conversão, onde para receber o Messias, além do batismo purificador, o povo deve se converter, mudar de vida, de atitudes para com Deus e com o seu próximo.
  O povo ancioso por uma luz, crê que João seja o Messias esperado,anunciado pelos profetas.Mas João fala que não era digno de desamarrar as sandálias, lembrando a lei do levirato ( Dt 25,5-10), quando o parente próximo do falecido entregava as sandálias " resgate" da viúva ao irmão. João não se reconhece como o resgatador e nem está no lugar de Jesus, que vem libertar a humanidade.
  Jesus o Messias, Filho de Deus, vai a João ser batizado, poderia não ir e de forma brusca, louca,sair da carpintaria e anunciar o Reino de Deus. Ele desce e pede a João o batismo.
  No Batismo de João de purificação, Deus se manifesta a humanidade, anunciando um novo tempo, em que o próprio Deus está no meio de nós. Assim como o " Espírito Santo pairava sobre as águas", a pomba que anuncia o fim do dilúvio( Gn 1, 2; 8,11).
  O Espírito Santo ( ruah) desce sobre Jesus, naquele lindo dia nas águas do rio Jordão, onde o próprio Deus apresenta o seu Filho " Tu és meu filho, eu hoje te gerei" ( Sl 2,7), salmo de apresentação e coroação dos reis de Israel, e que diante dos discípulos após a Transfiguração, Deus o confirma ( Lc 9,35).
  " O Cristo é batizado não para ser santificado pelas águas, mas para santificar ele próprio as águas, e purificar pelo seu ato pessoal as ondas que ele toca.trata-se pois, muito mais da consagração das águas, do que da de Cristo.Porque, desde que o Salvador é lavado, todas as águas se tornam puras em vista do nosso batismo, a fonte é purificada para que a graça seja proporcionada aos povos que virão no futuro"( São Máximo Bispo + 420).
  Neste final de semana nos convida a refletir sobre o nosso Batismo, ao sermos batizados somos transformados em homens e mulheres novos em Cristo ( Gl 3, 27).
  temos os mesmos sentimentos de AMOR e que moveram a sua vida.Onde devemos dar o nosso testemunho de fé e de amor ao próximo ser solidários.
  Vivemos num país de cristãos e de batizados e temos ainda muita miséria, pobreza, famintos, violência,préconceitos, concentração de riquezas, da terra, esbanjamento de alimentos e luxo.
  Onde está o nosso testemunho?, como escreve o Apóstolo Paulo " Ai de mim se não evangelizar" ( I Cor 9,16), se não vivemos de fato e nem praticamos a partilha, justiça, solidariedade que o próprio Jesus viveu e ensinou.E que cantemos nas nossas comunidades, como compromisso.
  "Prometi no meu santo batismo ser fiel a Jesus sem cessar. Pais e padrinhos cristãos em meu nome juraram:hoje os votos eu vim confirmar.
  /: Fiel, sincero,eu mesmo quero/:a Jesus prometer meu amor.:/"
  O Batismo é o sacramento da responsabilidade e do compromisso de todo o fiel cristão batizado.
       Bom final de semana, boas meditações
                   Lc 3; 15-16. 21-22
 * Membro da Equipe da Pastoral Operária Arquidiocesana de Pelotas/ RS

Nenhum comentário: