1 de jun de 2013

Emissões da União Europeia caíram 3,3% em 2011

29/05/2013   -   Autor: Fabiano Ávila   -   Fonte: Instituto CarbonoBrasil


A Agência Europeia de Meio Ambiente (EEA) divulgou nesta quarta-feira (29) o inventário de emissões de gases do efeito estufa da União Europeia (UE) referente ao ano de 2011. O documento aponta a liberação de 4,55 bilhões de toneladas de dióxido de carbono equivalente (CO2e) nos 27 países-membros do bloco, uma queda de 3,3% com relação a 2010.
Vale destacar que a EEA não contabilizou as emissões resultantes de atividades do uso da terra, mudança no uso da terra e florestas (LULUCF).
De acordo com a agência, houve o corte de 1,024 bilhão de CO2e entre as emissões de 1990 e 2011, o que representa uma redução de 18,4%. Isso significa que o bloco já está muito próximo da meta de 20%  esperada para 2020. 
“As emissões caírem é uma boa notícia, mas isso aconteceu principalmente por causa do inverno ameno. Entretanto, a UE está progredindo em direção à sua meta”, explicou Jacqueline McGlade, diretora executiva da EEA.
A diretora disse ainda que o uso de combustíveis fósseis tem aumentado.
“Percebemos um crescimento no consumo de combustíveis intensivos em carbono, como o carvão, enquanto a produção hidroelétrica e de gás tem diminuído. Se a Europa pretende fazer a transição para uma sociedade de baixo carbono, é preciso investimentos constantes em tecnologia e inovação.”
Dados de 2012
Além dos números da EEA, também foram apresentados nesta semana as novas estimativas preliminares da agência de estatística da União Europeia (Eurostat) referentes às emissões resultantes do uso de energia no bloco em 2012.
A Eurostat aponta uma queda de 2,1% nas emissões, porém com alguns países registrando um crescimento.
Malta apresenta o maior aumento, 6,3%, mas os grandes destaques negativos são a Alemanha, com 0,9%, e, principalmente, o Reino Unido, 3,9%.
No total, o Reino Unido teria liberado para a atmosfera quase 472 milhões de toneladas de GEEs, enquanto os alemães, os maiores emissores europeus, 728 milhões de toneladas.
As maiores quedas nas emissões foram percebidas na Bélgica e na Finlândia, 11,8%, e na Suécia, 10,1%.
Os números da Eurostat estão alinhados com informações passadas pela Comissão Europeia (CE) no último dia 16, quando a entidade afirmou que houve uma queda de 2% nas emissões dos setores sob o EU ETS.

Nenhum comentário: