1 de out de 2013

Moradores de comunidade alagada por hidrelétrica participam de debate em São Paulo

Os moradores de uma comunidade do oeste paraense que poderá ficar debaixo da água com a construção da Usina Hidrelétrica de São Luiz do Tapajós participam de um debate na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) nesta quinta-feira (5). A usina faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e a obra deve alagar áreas onde moram povos tradicionais indígenas e ribeirinhos.
Trecho do Rio Tapajós que deve ser alagado (Foto: Marcelo Assumpção/Cicloamazônia)
Trecho do Rio Tapajós que deve ser alagado (Foto: Marcelo Assumpção/Cicloamazônia)
A atividade faz parte da programação da XIII Semana de Ciências Sociais da PUC-SP, é gratuita e aberta a todos os interessados. O objetivo é conversar com os moradores da comunidade de Pimentel, que viajaram por quatro dias para contar sobre as principais mudanças que a usina traz a eles antes de sua construção. Ela será coordenada pela professora Mônica Muniz de Carvalho, doutora em Ciências Sociais pela PUC-SP, e por sua orientanda Thais Iervolino, que está elaborando uma tese de mestrado com o tema “Mulheres diante da implantação da Usina hidrelétrica de São Luiz dos Tapajós: análise do avanço da frente de expansão na região da Amazônia”.
Os estudos para a obtenção do licenciamento ambiental para a construção de São Luiz do Tapajós chegaram a ser suspensos duas vezes neste ano. Em abril a Justiça acatou recurso do Ministério Público Federal que pedia a suspenção da Operação Tapajós, que contava com policiais armados dentro dos limites da Terra Indígena Munduruku para garantir que os estudos fossem feitos. Já em junho os trabalhos foram novamente suspensos porque índios fizeram reféns três biólogos que prestavam serviço à Eletrobrás. Eles exigiam o cumprimento da Convenção 169 da Organização Internacional do Trabalho, que prevê que os povos indígenas sejam consultados previamente sobre iniciativas que afetem seus interesses. A pesquisa foi retomada no último dia 12 de agosto e deve ser finalizada em dezembro.
Convite para o debate "Situação de Fronteira: a conquista de Pimentel pela Hidrelétrica de Tapajós"
Serviço
Debate “Situação de Fronteira: a conquista de Pimentel pela Hidrelétrica de Tapajós”
5/09, das 14h às 17h LOCAL: Sala 306 do campus Perdizes da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) ENDEREÇO: Rua Monte Alegre, 971, Perdizes – São Paulo, SP ENTRADA GRATUITA ORGANIZAÇÃO: Professores e estudantes do curso de Ciências Sociais da PUC-SP.
Fonte:http://reporterbrasil.org.br/blogdaredacao/?p=1756

Nenhum comentário: