22 de abr de 2013

BRASIL:País Rico é País sem Pobreza

                                    Júlio Lázaro Torma*
             "A Classe roceira e a classe operária/ ansiosa espera a reforma agrária/sabendo que ela dará solução para a situação que está precária/Saindo o projeto do chão brasileiro de cada roceiro plantar sua área,/sei que na miséria ninguém viveria/e a produção já aumentaria/"( Francisco Lázaro Zilo e Zalo)
   Durante esta semana está ocorrendo a Jornada Nacional de Luta pela Reforma Agrária.Lembrando os 17 anos do massacre de 21 trabalhadores rurais sem terra do Movimento Sem Terra ( MST) em Eldorado dos Carajás ( PA).
  Quando no anoitecer de 17 de Abril de 1996 na curva do S, foram atacados barbaramente e covardemente pala Policia Militar, enquanto reivindicavam e defendiam o seu direito a terra.
  Olhando a atual conjuntura vemos que o Brasil está muito bem na foto, com alto índice de desenvolvimento e o crescimento do PIB ( Produto Interno Bruto), em relação a outros países atingidos pela crise econômica de 2008.
  Se de um lado estamos bem na foto do outro ainda persiste a secular luta pela terra e a concentração de terras nas mãos do latifúndio e do agronegócio que tem recebido milhões de reais dos cofres públicos.
  Onde temos 150 mil familias sem terra acampadas,morando debaixo de lonas pretas em beira de rodovias ou áreas ocupadas; além de 4 milhões de famílias pobres no campo,que recebem o Bolsa Família para não morrerem de fome, uma medida paliativa que não resolve o problema da pobreza mas ameniza.
  E milhares de trabalhadores rurais assalariados vitimas de baixos salários e da precarização do trabalho, em alguns casos vitimas do tráfico humano e da escravidão.
  Enquanto isso o Brasil utiliza 10% de sua área total; 85% das melhores terras são utilizadas para a monocultura de soja,cana de açúcar, fruticultura e silvicultura e 10% dos grandes proprietários rurais possuem áreas acima de 500 hectares.
  Além de muitas áreas já estarem em mãos de estrangeiros, ferindo e deixando em risco a soberania nacional e alimentaria do povo brasileiro.
  No processo democrático de 1985-2010, foram assassinados 1.614 trabalhadores rurais( sindicalistas, indígenas, quilombolas,lideranças camponesas...). Destes só 91 casos foram a julgamentos e os mandantes estão livres, como o caso recente do mandante do assassinato do casal de extrativistas José Cláudio Ribeiro da Silva e Maria do Espírito Santo, executados em 2011.
  Entre 1985-1989, houve 685 conflitos envolvendo 614 mil pessoas.
  Nos últimos dez anos ( 2003-2012), foram 1757 conflitos envolvendo 992 mil pessoas no governo Lula; 1.363 conflitos envolvendo 600.925 pessoas no governo Dilma.De 2000-2012 foram 458 mortos, desde 2000 há 54 mortes anunciadas no campo e em 2011-2012 o número de assassinatos subiu de 29 para 32.
   Tais conflitos tem acontecidos pela lentidão do processo de desapropriação e lentidão da reforma agrária.Bem como o processo de contra reforma agrária, organizado pelo poder judiciário e órgãos público, bancada ruralista, como o que vem acontecendo pelo avanço do agronegócio em vastas regiões do Brasil profundo.
  Onde longe dos grandes centros urbanos e da mídia tem acontecido a expulsão de famílias camponesas, povos tradicionais e originários de suas terras, bem como a destruição da biodiversidade e recursos naturais pelo agronegócio e por empresas transnacionais como a mineradoras...
   Um país sem pobreza e democrático, só ira acontecer de fato quando quebrar a espinha dorsal do latifúndio, que tem trazido fome, pobreza, miséria e subdesenvolvimento para o país.
  Devemos democratizar o acesso a terra com uma ampla reforma agrária e revolução agricula que beneficie a toda a população rural.Só com a realização da reforma agrária com a desapropriação dos latifúndios improdutivos e produtivos, teremos de fato um país rico e sem pobreza.
  Ao lutarmos pela Reforma Agrária estamos lutando pela soberania nacional, alimentária e justiça pelo sangue derramado das vitimas da violência no campo.
   Devemos desflaudar a bandeira e colocar a Reforma Agrária na pauta do dia e do Congresso Nacional, da opinião pública.Queremos que o governo realize a Reforma Agrária de fato e que ela não sege medida paliativa para tapar conflitos.
  Queremos ver quais são os partidos políticos que querem a reforma agrária de fato e de direito.Ou a parte que sobra deste latifúndio é as mortes no campo de lutadores sociais como temos visto.
    TERRA, TRABALHO, JUSTIÇA!
    CHEGA DE IMPUNIDADE! JUSTIÇA AOS TRABALHADORES MORTOS NO CAMPO!
    DEMOCRACIA É REFORMA AGRÁRIA !
    POR UM BRASIL SEM LATIFÚNDIO!, ESTA LUTA É NOSSA!
___________
  * Membro da Equipe Arquidiocesana da Pastoral Operária de Pelotas/ RS

Nenhum comentário: