31 de ago de 2013

Dom Odilo fala sobre 'a vocação de todos' [Dom Odilo explicou que o chamado de Deus 'só pode ser percebido quando se está atento' (Foto: Divulgação )] Dom Odilo explicou que o chamado de Deus 'só pode ser percebido quando se está atento' Em artigo publicado recentemente, o Arcebispo de São Paulo, Cardeal Dom Odilo Pedro Scherer, afirmou que a primeira e essencial vocação de todos "é o chamado à vida e para alcançar a salvação", alegando que "a compreensão cristã sobre a vida nos leva a afirmar que ninguém nasceu, sem que isso fosse também do conhecimento de Deus", que "já os conhecia até mesmo antes que fôssemos formados no seio da mãe (Sl 139, 15-16)". Dom Odilo disse que a pessoa, quando chamada por Deus, alcança a plenitude da vida, a "salvação eterna". "O homem não é capaz de dar a si mesmo a salvação: em última análise, recebe-a de Deus quando a busca e acolhe de coração sedento e aberto", frisou. Ao recordar-se da Festa de Santo Agostinho, celebrada pela Igreja no mundo no dia 28 de agosto, o Cardeal resumiu as palavras do Bispo de Hipona ao enfatizar que "o homem tenta dar a si mesmo a satisfação plena de sua existência; é compreensível que o faça e não poderia deixar de fazê-lo, sem frustrar o sentido de sua existência", mas que "cedo ou tarde, percebe que é incapaz de resolver essa questão existencial". O Arcebispo de São Paulo explicou que o chamado de Deus "só pode ser percebido quando se está atento", pois "muitas coisas nos distraem e desviam nossa atenção, não deixando perceber o chamado de Deus e a silenciosa e forte atração que ele exerce sobre a existência humana." Para reforçar seu pensamento, Dom Odilo argumentou que desde os tempos de Adão e Eva, "o homem foi sempre a de dar ouvidos e de seguir a voz de ´alguém outro´, que se propõe no lugar de Deus em nossa vida". O Cardeal ainda referiu-se à Encíclica sobre a Esperança (Spe salvi), publicada pelo Papa Emérito Bento XVI, que falava sobre a falta de esperança entre os homens. O Arcebispo, então, propõe um questionamento aos seus leitores acerca do assunto. "O homem ainda espera algo mais da existência, que vá além do que ele se pode dar aqui na terra?" Logo em seguida, Dom Odilo respondeu que "muitos não esperam nada de Deus, nem mesmo a ´salvação eterna´", sendo assim, "uma existência sem esperança acaba não tendo um motivo alto para viver, lutar e aprimorar a vida e a convivência." Finalizando seu artigo, o Arcebispo concluiu que "o homem é chamado a se lançar para além dos próprios limites", usando as exortações feita pelo Papa Francisco aos seus fiéis "a não perderem a esperança e a não deixarem que lhes fosse roubada a esperança." "O homem só pode ter esperança verdadeira quando se abre para Deus. Então, sim, será capaz de olhar para além dos próprios limites", finalizou Dom Odilo. SIR




Dom Odilo explicou que o chamado de Deus 'só pode ser percebido quando se está atento'

Dom Odilo fala sobre 'a vocação de todos'


Em artigo publicado recentemente, o Arcebispo de São Paulo, Cardeal Dom Odilo Pedro Scherer, afirmou que a primeira e essencial vocação de todos "é o chamado à vida e para alcançar a salvação", alegando que "a compreensão cristã sobre a vida nos leva a afirmar que ninguém nasceu, sem que isso fosse também do conhecimento de Deus", que "já os conhecia até mesmo antes que fôssemos formados no seio da mãe (Sl 139, 15-16)".
Dom Odilo disse que a pessoa, quando chamada por Deus, alcança a plenitude da vida, a "salvação eterna". "O homem não é capaz de dar a si mesmo a salvação: em última análise, recebe-a de Deus quando a busca e acolhe de coração sedento e aberto", frisou. Ao recordar-se da Festa de Santo Agostinho, celebrada pela Igreja no mundo no dia 28 de agosto, o Cardeal resumiu as palavras do Bispo de Hipona ao enfatizar que "o homem tenta dar a si mesmo a satisfação plena de sua existência; é compreensível que o faça e não poderia deixar de fazê-lo, sem frustrar o sentido de sua existência", mas que "cedo ou tarde, percebe que é incapaz de resolver essa questão existencial".
O Arcebispo de São Paulo explicou que o chamado de Deus "só pode ser percebido quando se está atento", pois "muitas coisas nos distraem e desviam nossa atenção, não deixando perceber o chamado de Deus e a silenciosa e forte atração que ele exerce sobre a existência humana." Para reforçar seu pensamento, Dom Odilo argumentou que desde os tempos de Adão e Eva, "o homem foi sempre a de dar ouvidos e de seguir a voz de ´alguém outro´, que se propõe no lugar de Deus em nossa vida".
O Cardeal ainda referiu-se à Encíclica sobre a Esperança (Spe salvi), publicada pelo Papa Emérito Bento XVI, que falava sobre a falta de esperança entre os homens. O Arcebispo, então, propõe um questionamento aos seus leitores acerca do assunto. "O homem ainda espera algo mais da existência, que vá além do que ele se pode dar aqui na terra?" Logo em seguida, Dom Odilo respondeu que "muitos não esperam nada de Deus, nem mesmo a ´salvação eterna´", sendo assim, "uma existência sem esperança acaba não tendo um motivo alto para viver, lutar e aprimorar a vida e a convivência." Finalizando seu artigo, o Arcebispo concluiu que "o homem é chamado a se lançar para além dos próprios limites", usando as exortações feita pelo Papa Francisco aos seus fiéis "a não perderem a esperança e a não deixarem que lhes fosse roubada a esperança." "O homem só pode ter esperança verdadeira quando se abre para Deus. Então, sim, será capaz de olhar para além dos próprios limites", finalizou Dom Odilo.
SIR
 Fonte: http://www.domtotal.com/noticias/661715

Nenhum comentário: