8 de out de 2013

Nós Cremos?

                                     Júlio Lázaro Torma*
                                                          " Aumenta nos a fé!"
                                                                       ( Lc 17,5)
        Somos convidados neste itinerário de Jesus para Jerusalém, a refletirmos sobre a nossa .Fazer um exame de consciência ou uma auto avaliação.
     Não vamos avaliar a fé dos outros, dos nossos famíliares, amigos, vizinhos, inimigos, dos presbíteros, religiosos/as, bispos, teólogos ou de quem professa outras crenças diferente da nossa, mas a nossa fé individual.
  Sabemos cuidar e falar dos outros que é fácil, mas não sabemos é cuidar de nós mesmos que é difícil.
  Na primeira leitura, o profeta Habacuc ( 1,2-3;2,2-4), segue a linha de Amós, na sua crítica social e política aos ricos e poderosos que oprimem e exploram o povo de Israel.E que com as suas práticas deixam o povo na miséria e na pobreza, deixando o sem fé e sem esperança na busca de uma vida melhor e na presença de Deus.
  Habacuc ( 605-598 a.C), mora no Reino do Sul, ele faz um protesto contra Deus, que abandonou o seu povo, nas mãos da Monarquia que levará o povo a ruína. O Deus do Êxodo, o libertador parece abandonar o povo a própria sorte e nem escuta o clamor do seu povo, como fez no Egito.
   " Eu vi, eu vi a aflição do meu povo que está no Egito, e ouvi os seus clamores por causa de seus opressores.Sim eu conheço seus sofrimentos"( Êx 3,7).
   Ele parece que abandonou o seu povo e o projeto libertador do Êxodo, o que faz com que o profeta, aquele que deve animar o povo e denunciar o projeto de morte dos poderosos se sinta impotente e abandonado por Deus a própria sorte.
   Os  Apóstolos falam;" Aumenta nos a fé!", assim como cantemos em nossas comunidades," Creio, Senhor, mas aumentai minha fé".
   Quantas vezes dizemos que temos fé, mas des animamos diante das dificuldades e obstáculos que aparece em nossa vida?
   Onde por qualquer motivo des animamos e esperamos um intervenção divina, sobrenatural, grandes manifestações, para acreditarmos que Deus esteja realmente conosco.
   Vemos as coisas com os olhos humanos, mas não enxergamos com os olhos da fé.
    Mesmo que enfrentamos dificuldades como nos fala Habacuc e o profeta Jeremias que diz;" Maldito o dia em que nasci!, Por que não fui abortado e o ventre de minha mãe era meu túmulo"( Jr 20,14.17) e o salmista canta, " Deus meu, Deus meu por que me abandonastes?"( Sl 21).
   Deus jamais nos abandona ou nos deixa a própria sorte. Ele está sempre junto conosco ao nosso lado.
   Quando caímos, desanimamos, onde tudo parece estar perdido, ele vem em nosso socorro, nos ergue, levanta e nos carrega em seus braços.
   Para quem tem fé, as dificuldades maiores que possam aparecer, elas se tornam pequenas, diante da presença misericordiosa de Deus.
   Nós só conseguimos de fato sentir a presença amorosa de Deus na nossa caminhada, quando somos humildes e sabemos nos abrir para acolher o outro.
    Pois quem não sabe acolher o outro e ver no outro a presença de Cristo, jamais terá forças para caminhar e viver em comunidade.
   Só vivendo em comunidade que nós temos de fato a fé fortalecida e sentimos a presença e a força maravilhosa de Deus que age nas pequenas coisas, nos acontecimentos da história da humanidade e na nossa vida.
   Que este ANO DA FÉ, nos ajude e fortalece a nossa fé na presença maravilhosa e libertadora de Deus que age e caminha conosco.E que possamos dizer com muita fé: 
     " Creio, Senhor, mas aumentai a minha fé!"                          Lc 17,5-10
_______________________________
  * Membro do Colégiado da Pastoral Operária Nacional

Nenhum comentário: