13 de nov de 2013

Mamíferos diminuem à medida que o mundo aquece


Os investigadores têm observado repetidamente que os primatas, os cavalos e os veados diminuíram durante um período quente chamado Máximo Térmico do Paleoceno-Eoceno, há 55 milhões de anos.

Um mundo mais quente pode ser um mundo menor, caso o testemunho do passado nos dê alguma indicação para o futuro. Os paleontólogos descobriram novas evidências de que as espécies tendem a diminuir durante os períodos de aquecimento. Artigo de Tim Radford publicado em Climate News Network.
Philip Gingerich, da Universidade de Michigan, EUA, disse à Sociedade de Paleontologia de Vertebrados, no encontro anual em Los Angeles, que a diminuição do tamanho do corpo parece ser uma resposta evolutiva dos mamíferos ao extremo aquecimento global.
Os investigadores têm observado repetidamente que os primatas, os cavalos e os veados diminuíram durante um período quente chamado Máximo Térmico do Paleoceno-Eoceno, há 55 milhões de anos. 
Durante o primeiro e mais dramático aquecimento, as temperaturas subiram 6 ° C ou mais durante os 160 mil anos da mudança climática. O segundo evento, chamado Máximo Térmico do Eoceno 2, durou entre 80.000 a 100.000 anos, com muito menor aumento da temperatura média.
Os dentes e outras evidências fósseis deste período, coletados na Bacia de Bighorn de Wyoming, mostram que, mais uma vez, o tamanho do corpo diminuiu durante este segundo evento, mais suave - mas não diminuiu tanto. Um antepassado do cavalo, conhecido por Hyracotherium, diminuiu em cerca de 19% durante o segundo evento e cerca de 30% no tamanho do corpo durante o primeiro, muito mais quente.
Os eventos de aquecimento antigos poderiam ter sido causados pela liberação natural de grandes quantidades de metano aprisionado no fundo do mar durante esses períodos. Há quem tenha medo de que a mesma coisa aconteça novamente, uma vez que o clima muda em resposta à acumulação de dióxido de carbono e outros gases de escapamentos de chaminés de fábricas e estações de energia.
Pela terceira vez este ano, os investigadores chegaram à mesma conclusão. Em janeiro, cientistas europeus envolvidos no projeto Bacia de Bighorn fizeram uma previsão semelhante e disseram que é possível que os seres humanos atinjam proporções de hobbit devido a uma estratégia evolutiva bem sucedida. Um segundo grupo de investigadores identificou uma geração atrofiada no nordeste do Brasil, que havia sido cruelmente privada de alimentos durante uma fome relacionada com o clima.
Nos EUA, um biólogo do Kansas analisou o peso e o tamanho de 22 manadas de bisontes selvagens e chegou à mesma conclusão: aqueles que pastavam os campos mais quentes foram consistentemente menores do que os animais da mesma espécie mais a norte.
A descoberta de um segundo conjunto de mudanças ocorridas há 53 milhões anos atrás confirma o padrão. "O facto de isso ter acontecido duas vezes aumenta significativamente a nossa confiança de que estamos a ver causa e efeito, de que uma resposta interessante ao aquecimento global no passado foi uma diminuição substancial no tamanho do corpo em espécies de mamíferos", disse o professor Gingerich.
Tradução de Ana Bárbara Pedrosa para o esquerda.net
Artigo de Tim Radford publicado em Climate News Network
Fonte: http://www.esquerda.net/artigo/mam%C3%ADferos-diminuem-%C3%A0-medida-que-o-mundo-aquece/30180

Nenhum comentário: