20 de abr de 2014

A Vitória da Periferia


                      Júlio Lázaro Torma*
                          " Ele não está aqui.Ressuscitou como havia dito"
                                                                       ( Mt 28,6)
  Estamos celebrando a Vigília Pascal, a grande noite que nos prepara para a Festa da Páscoa. Após a tragédia de Jesus que vivemos na Sexta Feira Santa, do Mistério da Paixão.
   Tudo é Silêncio, trevas, onde forças que geram morte, venceram e destruíram, aquele que é a fonte de toda a vida.Como nos escreve São João da Cruz ( 1542-1591), " Em uma noite escura, em ânsias e de amor toda inflamada". A Vida outrora destruída ressurge com mais força, como brotos verdes, que germinam e crescem no silêncio.
   " Nascendo da noite escura a manha futura", que nasce a onde ninguém acredita, a vida nasce o túmulo sinal de morte se converte em vida nova.
  Jesus ressuscita num jardim na periferia de Jerusalém, longe do Templo, onde está o poder político, religioso opressor. Ele não aparece a algum sacerdote, levita, mas aparece a Maria Madalena e a outra Maria. As mulheres outrora desprezadas, cuja palavra não tem valor na sociedade como testemunhas, se tornam as grandes anunciadoras, da Ressurreição de Jesus e as animadoras da comunidade que está dispersa e enfraquecida.
  Jesus, as manda ir " Não temais! Ide dizer aos meus irmãos que se dirijam a Galiléia, pois lá que eles me verão" ( Mt 28,10).
   A Missão de Jesus inicia  na Galiléia, se desenvolve nesta região, a periferia do seu país, longe dos poderes que o matam. Ele nasceu, viveu, morreu na periferia, fora dos muros de Jerusalém, foi sepultado, num jardim a onde ressuscita e ressuscitado retorna para onde tudo iniciou.
   Enquanto a cidade de Jerusalém, mata Jesus com uma morte violenta, com medo de perder os seus privilégios, o povo da periferia o acolheu com todo o carinho a sua mensagem. A ressurreição estremece todo o poder dominante que exclui e mata as pessoas, principalmente os mais pobres que são exterminados.
   A ressurreição de JESUS e a VITÓRIA dos pobres e dos moradores da periferia que dia e noite em suas orações gritam a Deus e falam, como nos diz a música:
   " Deus olhai o povo da Periferia
     É tanta gente triste nessa cidade
     É tanta desigualdade desse outro lado da cidade
     Mas eu tenho fé eu acredito em Deus
     Olhai por esses filhos teu Senhor
     Ó pai olhai o meu povo sofrido da Periferia"
                                ( Mc Naldinho)
  Jesus ao ressuscitar, ele não aparece a Anás ou Caifás, Pôncio Pilatos, aos discípulos, mas as mulheres na periferia. Onde tudo aparece acabado, destruído ou arruinado, a vida renasce. A vida nova, surge até no absurdo onde nós não queremos ver, ali é a onde nasce a vida. E confirma o projeto de vida trazido por Jesus e que foi a causa de sua Paixão e Morte.
   Eis que nós devemos ir a periferia, a Galiléia e de lá entre os mais pobres e sofredores da nossa sociedade. Iniciar o anúncio da Boa Nova da Ressurreição, onde a Vida até então ameaçada, destrói as amarras e se converte em Vida Nova que ressurge com força e vitória a partir da Periferia do Mundo.
            Boas Meditações e bom Final de Semana
                      Mt 28,1-10
_______________________________
  * Membro do Colegiado Nacional da Pastoral Operária
                                                                 

Nenhum comentário: